Seta_back

Peregrinos revivem caminhos em Santar   -  2011-07-17

A pergrinação entre Santar e a Senhora da Lapa voltou a cumprir-se. Através de uma iniciativa conjunta da Santa Casa da Misericórdia de Santar, do Dr. Maia Rodrigues e do Santuário da Sra da Lapa, cerca de quatro dezenas de pessoas caminharam durante três dias e chegaram o Santuário a 17 de Julho de 2011.

De acordo com a Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Santar, Infância Pamplona, esta  tradição manteve-se ao longo de vários séculos, a que se seguiu um interrégno de 100 anos. Esta peregrinação só foi recuperada, graças à vontade do Dr. Maia Rodrigues, irmão da Misericórdia de Santar, em reconstruir o percurso e à memória daqueles que a descrevem na primeira pessoa.

Já devidamente estudado, o Projecto "Peregrinar à Lapa", teve uma boa adesão, havendo o interesse manifesto de várias pessoas em participar. Neste seguimento, foi celebrado um Protocolo com as Juntas de Freguesia por onde viriam a passar os peregrinos, de forma a que os caminhos fossem limpos e a garantir a sua segurança.

O caminho foi marcado com setas azuis, a cor do culto mariano, fizeram-se cartazes e desdobráveis para publicitar a iniciativa, distribuídos pelo Concelho e outras localidades do Distrito e fora dele.

A notícia foi publicada no Jornal de Notícias do dia 11 de Junho de 2011 e a TVI fez a cobertura sobre esta peregrinação no dia 15/07/2011. Esteve também a fazer a reportagem sobre o evento a jornalista do Jornal "Voz das Misericórdias" que se deslocou ao Santuário da Lapa no dia da chegada aos peregrinos (17/07/2011).

Apesar do sucesso da iniciativa, o responsável garantiu que o trabalho de investigação não está acabado e que pode mesmo vir a ser ampliado.

 

 

 

 

 

Tradição...

 

Reza a lenda, que em 1498, uma pastora chamada Joana, muda de nascença, encontrou uma linda imagem da Virgem, quando entrou por entre fendas numa gruta com uma grande lapa. A mãe desta pastora, cansada de a ver perder tempo com aquela "boneca", lançou-a à fogueira e Joana, apesar de muda gritou: Minha Mãe! É a Nossa Senhora da Lapa."

Este milagre rapidamente passou de boca em boca e muitas foram as peregrinações, a partir daí, a esse local.  

Peregrinação